Capa da Revista Galo Nº 9 de 2024
Dossiê: O Brasil colonial Ano 5, nº 9 jan./jun. de 2024
Como citar?
 

Protestantismo de invasão: revisitando a presença dos protestantes na América portuguesa, séculos XVI–XVIII

Resumo: A historiografia do protestantismo no Brasil é marcada, basicamente, pela divisão entre Protestantismo de Invasão, Protestantismo de Imigração e Protestantismo de Missão. Por vezes, é comum a ausência do primeiro, e quando faz-se apontamentos sobre a chegada dos protestantes no território português na América se restringe a experiência francesa na Baía de Guanabara, século XVI, e o domínio holandês, nas capitanias do norte no século XVII. Deste modo, o presente texto tem por objetivo revisitar a tipologia protestantismo de invasão demonstrando que ela não contempla o trânsito de sujeitos de origem protestante entre os séculos XVI e XVIII. Norteado por uma perspectiva decolonial e a visitação de fontes coloniais, têm-se como resultado a proposta para o estabelecimento da categoria protestantismo intermitente.

Palavras-chave: História do Protestantismo. Protestantismo no Brasil. América Portuguesa.

Referências

BELLOTTI, Karina Kosicki. “Pluralismo protestante na América Latina”. In: SILVA, Eliane Moura da; BELLOTTI, Karina Kosicki; CAMPOS, Leonildo Silveira (Org.). Religião e sociedade na América latina. São Bernardo do Campo: Universidade Metodista de São Paulo, 2010, p. 55–72.

BETHENCOURT, Francisco. História das Inquisições: Portugal, Espanha e Itália (Séculos XV–XIX). Companhia das Letras: São Paulo, 2000.

BRAGA, Erasmo e GRUBB, Kenneth G. A república do Brasil: uma análise da situação religiosa. Brasília, DF: Editora Monergismo, 2022.

BRITTO, Rossana Gomes. Os pecados do Brasil: protestantes e a inquisição em tempos coloniais. Serra: Editora Milfontes, 2018.

CASTRO-GOMEZ, Santiago. “Ciências Sociais, violência epistêmica e o problema da ‘invenção do outro’”. In: Edgardo Lander (Org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais, Perspectivas latino-americanas. Colección Sur Sur, CLACSO, Ciudad Autônoma de Buenos Aires, Argentina, 2005, p. 80–87.

FRANÇA, Jean Marcel Carvalho. Visões do Rio de Janeiro Colonial: antologia de textos (1531–1800). Rio de Janeiro: José Olympio, 2008.

FRANÇA, Jean Marcel Carvalho. Outras visões do Rio de Janeiro Colonial: antologia de textos (1582–1808). 2. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2013.

FRANCO, Clarissa de; PANOTTO, Nicolás. “Decolonização do campo epistemológico da(s) Ciência(s) da(s) Religião(ões) e Teologia(s) pela via contra-hegemônica dos direitos humanos”. Revista Estudos de Religião, v. 35, n. 3, set.–dez. 2021, p. 33–54.

HAHN, Carl Joseph. História do culto protestante no Brasil. 2. ed. São Paulo: ASTE, 2011.

LAPA, José Roberto do Amaral. A Bahia e a Carreira da Índia. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1968.

LÉONARD, Émile G. O protestantismo brasileiro: estudo de eclesiologia e História social. 2. ed. Rio de Janeiro e São Paulo: JUERP/ASTE, 1981.

LIMA, Abreu e. As Bíblias falsificadas ou as duas respostas ao sr. Cônego Joaquim Pinto de Campos. Recife, Typographia Commercial de G. H. de Mira, 1867.

LOPES, Hernandes Dias. Panorama da história cristã: a intervenção divina na história. São Paulo: Hagnos, 2018.

MENDONÇA, Antônio Gouvêa. O celeste porvir: a inserção do protestantismo no Brasil. São Paulo: Paulinas, 1984.

MENDONÇA, Antônio Gouvêa. Protestantismo brasileiro, uma breve interpretação histórica. In: SOUZA, B. M; MARTINO, L. M. (Org). Sociologia da religião e mudança social: católicos, protestantes e novos movimentos religiosos no Brasil. São Paulo: Paulus, 2004, p. 11–59.

OLIVEIRA, Luiz Fernandes de; CANDAU, Vera Maria Ferrão. “Pedagogia decolonial e educação antirracista e intercultural no Brasil”. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 26, n. 1, abr. 2010, p. 15–40.

RIBEIRO, Cláudio de Oliveira. “Religião, Decolonialidade e o Princípio Pluralista”. Numem: revista de estudos e pesquisa da religião, Juiz de Fora, v. 23, n. 1, jan.–jun. 2020, p. 21–40.

RIBEIRO, Domingos. O evangelismo brasileiro: esboço histórico. Rio de Janeiro: Gráfica Apollo, 1937.

SANTANA, Jair Gomes. Embates da fé: católicos e protestantes no Recife, 1860–1870. Dissertação (Mestrado). Universidade Católica de Pernambuco, Programa de Mestrado em Ciências da Religião, 2007.

SANTOS, Lyndon de Araújo. As outras faces do sagrado: protestantismo e cultura na primeira república brasileira. Tese (doutorado). Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Letras de Assis, 2004.

SANTOS, Lyndon de Araújo; SILVA, Elizete da; ALMEIDA, Vasni (org.). Os 500 anos da reforma protestante no Brasil: um debate histórico e historiográfico. Curitiba: CRV, 2017.

SILVA, Alexandre. Invasões protestantes ao Brasil Colônia: França Antártica (1555–1560), e Índias Ocidentais (1630–1654). In: ALMEIDA, Flávio Aparecido de (org.). Ciência das Religiões e ensino religioso: revisões, reflexões e transdisciplinaridade em pesquisa. Guarujá, SP: Científica Digital, 2023, p. 178–190.

SOUZA, José Roberto de. Relatos históricos do protestantismo brasileiro: a contribuição de Ashbel Green Simonton para o protestantismo de missão. In: Anais Eletrônicos do V Colóquio de História “Perspectivas Históricas: historiografia, pesquisa e patrimônio”. Luiz C. L. Marques (Org.). Recife, 16 a 18 de novembro de 2011, p. 1123–1140.

STADEN, Hans. Duas viagens ao Brasil: primeiros registros sobre o Brasil. Porto Alegre, RS: L&PM, 2014.

VEYNE, Paul. Como se escreve a história e Foucault revoluciona a história. Brasília: EdUnB, 2008.

VIRAÇÃO, Francisca Jaquelini de Souza. Igreja Reformada Potiguara (1625–1692): A primeira igreja protestante do Brasil. Dissertação (Mestrado). Universidade Presbiteriana Mackenzie: São Paulo, 2012.